16 de março de 2009

Para que servirá o futuro se não houver memória?

De um anónimo que no post anterior me confirmou que não sei escrever a referências mais complacentes como a que foi feita aqui, o facto de ter disponibilizado este «Jogo de Sombras» suscitou generosas alusões que, num caso como noutro, registo. Temo, porém, estar a criar - pelo menos em relação ao que me prestarei a cumprir nos tempos mais próximos - uma falsa expectativa. Este blogue é um projecto antigo de organização da escrita dispersa na imprensa local (no «Terras da Beira», a cuja direcção pertenci em 2000 e 2001, incluindo também alguns textos de 1998; no «O Interior», onde comecei a colaborar em 2002 quando assumi funções na Rádio Altitude), iniciado num serão de 2006 e resgatado por mero acaso noutra noite da semana passada, durante uma arrumação de ficheiros. Calhou. De modo que o que aqui fica é uma espécie de memória futura que remonta no essencial ao primórdio da década, assim que regressei à Guarda e passei a escrever sobre coisas que vejo e oiço. Nesse aspecto, por agora, a única utilidade dos quase 150 textos de opinião é a de poder verificar uma desventura (colectiva?): muito do que podia escrever hoje já o escrevi em 1998, em 2001, em 2004 ou em 2008... Afiram-no os leitores, por anos ou por temas. Será defeito de quem escreveu? Prefiro pensar que sim. Aliás, espero bem que sim.

1 comentário:

Anónimo disse...

Amigo RUI, há que continuar a escrever!!! eu não escreveria assim... como cada dia mais tenho receio de muita gente, já o disse em público: isto da liberdade de expressão...

Saúde!!

ag da silva